Login / Logout

Get Adobe Flash player

Versículo do dia:

Calender

Dom Dez 09 @10:30 -
Gottesdienst
Seg Dez 10 @19:00 -
Gebetstreff / Reunião de Oração
Qua Dez 12 @19:00 - 08:30PM
HK-Korb
Sex Dez 14 @19:00 - 09:00PM
HK-Neckartailfingen
Sex Dez 14 @19:30 -
Jugend Gottesdienst
  • images/banners/pos19-br/Bilingual Gottesdienst-br.jpg
  • images/banners/pos19-br/Kid+Youth1-br.jpg
  • images/banners/pos19-br/hauskreis2-br.jpg
  • images/banners/pos19-br/willkommen-br.jpg

DaumierEcceHomox1

 

ECCE HOMO

Olhem este homem!

 

E era a preparação da páscoa, e quase à hora sexta; e disse (Pilatos) aos judeus: “Eis aqui o vosso Rei”.
Mas eles bradaram: “Tira, tira, crucifica-o”. Disse-lhes Pilatos: “Hei de crucificar o vosso Rei?” Responderam os principais dos sacerdotes: “Não temos rei, senão César”. João 19:14-15

 

Por ocasião da Páscoa o povo é confrontado com uma escolha: Jesus ou Barrabás?

Jesus passara os últimos anos de sua vida entre o povo, ensinando, curando, alimentando, pregando a paz e o reino de Deus, tanto neste mundo como na eternidade.

Sobre Barrabás não sabemos muito; segundo a Bíblia ele havia participado de uma rebelião contra Roma e de um assassinato. Ele queria mudar o seu mundo, ou talvez apenas a própria sorte através da força do seu braço.

Nós também queremos muitas vezes mudar o governo, ou o sistema, ou as regras na ilusão de melhorar o mundo em que vivemos. Jesus queria mudar o ser humano, cada um de nós, e como consequência teríamos uma sociedade melhor (o Seu reino na terra). De dentro para fora, e não o contrário.

Nesta pintura do artista francês Honoré Daumier, não somos observadores, mas somos colocados em meio a multidão que escolhe servir a César (o regente deste mundo) e exige a crucificação de Jesus. Este permanece em pé, sozinho no centro e aguarda em silêncio a sua sentença. Ele não olha apenas para este momento, mas muito mais longe, até a eternidade.

O dedo em riste de Pilatos nos desafia a olhar diretamente para Jesus. Quem é Ele, e o que Ele fez para que o rejeitemos? Que razões temos para não aceitar o seu sacrifício e não o seguir? Por quê escolhemos a nossa própria vontade e o nosso caminho em vez da Sua vontade e dos Seus caminhos? Mesmo olhando para o que nós alcançamos até hoje seguindo os nossos próprios caminhos… guerras, fome, separação, escravidão, opressão, traição.

Na verdade somos confrontados com esta decisão todos os dias, ou mesmo várias vezes por dia. Todas as vezes que escolhemos seguir a nossa vontade e confiar na nossa capacidade, rejeitamos a vontade d’Ele que é boa, perfeita e agradável (Rom. 12:2).

Olhe para Jesus e faça a sua escolha.

 

Imagem: Ecce Homo, Honoré Daumier, c. 1851 - Museu Folkwang, Essen